Impressões sobre o Lollapalooza Brasil 2014

Se depender de mim, o Lollapalooza volta ao autódromo de Interlagos no ano que vem. Todos olhamos com desconfiança quando o espaço foi anunciado como a nova casa do festival, mas depois de dois dias de shows, entedemos para onde o festival quis ir. Sim, tem muita coisas a serem melhoradas, mas o balanço final é bastante positivo. Os principais problemas que o festival enfrentava no Jóquei Clube foram resolvidos e nós, o público, tivemos uma oferta enorme de serviços e atividades, além dos shows, que nunca seria possível no espaço anterior. Mas falo dos pontos altos e baixos em um próximo post. Por hora, vamos falar de música.

Escolhido a dedo e com diversos nomes que figuram na escalação dos principais festivais do mundo, o line-up do terceiro Lollapalooza Brasil não fez feio. Todos as bandas que tive a oportunidade de ver apresentaram uma qualidade maior do que a esperada, foram poucas as exceções. Abaixo, algumas das minhas impressões sobre os shows do festival:

Capital Cities

Abrindo o palco Skol, o duo Capital Cities não fez feio e levou uma multidão para curtir o seu eletropop pela primeira vez no Brasil. “Safe and Sound” é claro, foi o destaque do show e levantou toda a galera que cantou e dançou como se não houvesse amanhã sob o sol escaldante que tomou conta do autodromo no primeiro dia de Lollapalooza.

Cage the Elephant

Em sua segunda passagem pelo festival, os americanos fizeram o que sabem de melhor: um show eletrizante, animado e tecnicamente perfeito. É impossível não se deixar contagiar pela energia do vocalista Matt Shultz, que se jogou na platéia – como de praxe – e terminou o show em cima da tenda da produção que ficava no meio da pista. Alguém esperava algo diferente?

Imagine Dragons

Uma das atrações mais esperadas do festival, o grupo levou uma multidão inacreditável para as proximidades do palco Ônix. No último show da turnê Night Visions, a banda se entregou ao Brasil e fizeram um dos shows mais elogiados do festival. Não faltaram hits na setlist e coro na platéia. Foi bonito de se ver. Nem tanto de se ouvir, já que o som estava muito baixo e quem optou por ficar mais atrás acabou prejudicado.

Phoenix

De volta ao Brasil após quatro anos, os franceses do Phoneix mostraram porque são uma das bandas mais empolgantes do mundo atualmente. Com um setlist baseado em seu melhor e mais cultuado disco, o grupo de Thomas Mars sabe o potencial que tem e não o desperdiça. Cada momento do show é perfeito e no final é impossível não sair satisfeito.

Ellie Goulding

Linda, loira e talentosa, a inglesa foi um dos destaques do segundo dia com sua voz doce e o punhado de hits que trouxe em sua primeira passagem pelo Brasil. Vestindo uma camisa da seleção brasileira de futebol, Ellie agradou a todos com músicas como “Lights”, “Burn” e “Godness Gracious”.

Vampire Weekend

Os nova iorquinos também agradaram com seu afropop na tarde do segundo dia de festival. A banda, que tem um dos shows mais requisitados em festivais de todo o mundo, apresentou uma compilação de seus três primeiros discos com foco nos sucessos do elogiadissimo Modern Vampires of the City, lançado no ano passado. E que show incrível. Quem vibrou com “Cousins”, “Ya Hey” ou “A-Punk” sabe do que eu estou falando.

Jake Bugg

O garotão inglês mostrou no Lollapalooza porque é considerado um dos principais nomes da nova música inglesa com apenas dois discos lançados. Bugg não é de muitas palavras, mas o talento que esbanja tanto na guitarra quanto na voz já deixa a platéia hipnotizada o suficiente. Para que bater papo quando se pode carregar um show deste porte praticamente sozinho?

Arcade Fire

Difícil pensar em um encerramento melhor para essa belíssima edição do Lollapalooza Brasil. No posto de uma das maiores bandas do mundo atualmente, o grupo canadense faz por merecer o pedestal onde foi colocado. Com um show que passou por todos os pontos altos da discografia do grupo e uma homenagem ao Brasil com músicas Caetano Veloso e Tom Jobim. Foi para deixar com gostando de quero mais e a certeza de que o fim de semana valeu a pena.

E você, o que achou do Lollapalooza Brasil 2014?