nota

Uma das promessas do novo pop para 2012, o Penguin Prison chegou tímido a São Paulo para sua primeira apresentação em terras brasileiras.

Foto: Bruna de Melo Torres/MTV

O Penguin Prison é um projeto de Chris Glover, artista conhecido no cenário alternativo por fazer bons remixes de faixas de novos artistas que estão emergindo na cena americana e mundial. Seu último sucesso nessa área foi em Blue Jeans, de Lana Del Rey. No Brasil, Glover trouxe o show do elogiado disco de estreia para São Paulo e ao M/E/C/A Festival. O álbum, que recebe o nome da banda, é um dos melhores registros de 2011 e umas das grandes promessas do rock dançante para 2012. E foi nessa atmosfera de balada que Glover e banda se apresentaram na última sexta-feira na filial paulistana do Beco 203. A noite fria e chuvosa não desanimou os fãs que se dirigiram até a Rua Augusta para prestigiar de perto o som do nova-iorquino.

O Penguin Prison subiu ao palco pouco depois da uma da manhã sob tímidos aplausos e abriu o set com a eletrizante “Golden Train”. A apresentação ficou centrada na figura de Chris Glover. Com uma clara timidez, o cantor se porta no palco de forma reta e certinha. Com a guitarra pendurada no pescoço, pouco fala com o público. Quando arrisca, desce do palco para tentar dar uma animada na platéia meio fria, meia frenética que o recebeu em São Paulo.

Mas a grande atração da apresentação foi a música. Com um setlist muito bem escolhido e uma ótima banda para reproduzi-lo, o show do Penguin Prison foi uma enxurrada de potenciais hits. O ápice da apresentação se deu ainda no início com a incrível “Something I’m Not” . Mas o público só cedeu aos encantos da banda em “Don’t Fuck With My Money” e ” Fair Warning”, já no fim da apresentação. Tarde demais. Só deu tempo de curtir o encerramento do set com uma versão mais roqueira de “Blue Jeans”, de Lana Del Rey, e “Multi-Millionare”.