7,8nota

A festa do Emblem3 começou com 30 minutos de atraso, mas isso só serviu para aquecer ainda mais a plateia predominantemente feminina na ansiedade de ver pela primeira vez os americanos no Brasil.

Wesley, Keaton e Drew abriram o show com “Girl Next Door” e logo deram o tom da noite: no palco, muita animação e pulos. Na plateia, gritos histéricos ininterruptos. Não é a toa que os rapazes consideraram os shows no Brasil os melhores de sua carreira. Conhecidos do grande público há menos de um ano, a recepção brasileira é digna de um popstar.

Apesar da pinta de boyband, o Emblem3 surpreende com um repertório que traz uma mistura do pop, rap, reggae e ska. A setlist veio todinha do recém-lançado Nothing to Lose, primeiro disco do trio que figura entre os mais vendidos nos Estados Unidos desde que chegou às lojas há algumas semanas atrás.

Entre os destaque dos shows esteve a canção “XO”, que levou o público ao delírio drante o show. Drew Chadwick era o mais animado entre os três e arriscava uma aproximação da plateia sempre que possível, mas ele logo percebeu que essa era uma tarefa quase impossível quando foi agarrado pelas meninas da primeira fila e teve que ser salvo pelos seguranças.

Em um dos momentos mais intimistas do show, o clima desacelerou para as baladas “One Day”, versão desacelerada do hit de Matisyahu, e “300 Miles” que foi cantada a plenos pulmões por toda a plateia.

A desacelerada foi estratégica: precedeu “Chloe (You’re the One that I Want)”, o principal sucesso do trio. A transição do momento calmo anterior se deu com um trecho de “Everybody”, hit dos Backstreet Boys, mas que não fez tanto sentido visto a idade média das pessoas na plateia. “Chloe” levou a galera a loucura e encerrou com chave de ouro a terceira edição do Z Festival.

A noite deve ter sido inesquecível para quem foi ao Espaço das Américas assistir ao Emblem3, mas na memória dos três rapazes ficará a lembrança de um grande e bem sucedido primeiro show longe da América do Norte.