nota
The Vaccines no Circo Voador (Foto: Festivaisbr.com)

Foto: Lucas Lucena/FestivaisBR

Na fase final da turnê do seu álbum de estreia, o aclamado What Did You Expected From the Vaccines?, a banda desembarcou no Rio de Janeiro para um show no Circo Voador em uma noite de quinta-feira quente e agitada típica da capital carioca. Escalados para se apresentar no Planeta Terra Festival do ano passado, a banda precisou cancelar a apresentação devido a conflitos na agenda e prometeu retornar. Seis meses depois a promessa foi cumprida com shows no Brasil no intervalo dos dois finais de semana do festival Coachella. A promessa era de muito agito com o rock acelarado do quarteto inglês e foi exatamente o que aconteceu. Justin Young, Árni Hjörvar, Freddie Cowan e Pete Robertson subiram ao palco do Circo Voador para mostrar porque foram considerados a “melhor banda nova” de 2011 e não decepcionaram.

Passou-se apenas um ano, mas parece que foi uma vida“. O trecho de “A Lack of Understanding” parece resumir a sensação que a banda passa no palco. O disco de estreia mal completou um ano de vida, mas no palco o The Vaccines parece ser veterna. Por mais descompromissadas que as músicas possam soar, a qualidade técnica é perfeita aliada a uma boa presença de palco e simpatia não tão recorrente em bandas do tamanho desta.

Abrindo “Blow it Up” que, ainda que seja mais lenta que a maioria das canções do grupo, já deu o tom da noite: explosiva, rápida e insana. A execução da acelerada “Wreckin’ Bar (Ra Ra Ra)”, logo em seguida, só veio a confirmar a sensação. A setlist seguiu com nada menos que todas as canções do único disco do grupo, que contém as ótimas “All in White”, “Post Break Up Sex” e “If You Wanna”, e mais algumas canções novas como “No Hope” e “Teenage Icon”, que – segundo revelou Justin Young a este que vos escreve – vão estar no segundo disco da banda que deve sair em setembro.

O público deu um show a parte, cantando todas as canções e ainda preparando um belo coro de “If you wanna comeback it’s alright!” durante a espera pelo bis. O quarteto voltou ao palco com um sorriso no rosto para o encerramento do show, que contou com “Bad Mood” –  outra canção nova – e a esperadíssima “Nørgaard”, que instalou o caos na platéia e encerrou o show em seu melhor momento.