Entrevista: FTampa

Felipe Tampa ficou conhecido mundialmente por trás das pickups como FTampa. O jovem produtor brasileiro toca no segundo dia do Lollapalooza Brasil e admite ser um sonho antigo que está prestes a se realizar.

Felipe começou a tocar teclado e bateria desde muito cedo. Hoje, FTampa é reconhecido no globo por seus remixes poderosos e hits de sucesso como “Kick it Hard”, que chegou a ser tocado no Tomorrowland por ninguém menos que Hardwell. Com turnês ao redor do mundo e uma passagem pelo insano Burning Man, Felipe diz que almeja ainda mais, e sonha em tocar no Ultra Music Festival.

O multi-instrumentalista revela que se o futuro da música eletrônica é que ela se torne cada vez mais parecida com uma banda, ele não tem medo das mudanças. “A música eletrônica é o futuro”, garante.

ftampa-2-divisor

Qual a expectativa em tocar no Lollapalooza Brasil?

A melhor possível. É um sonho antigo prestes a se realizar.

Você que já fez turnê no exterior e chegou a tocar em um dos festivais mais insanos do mundo, o Burning Man, existe algum festival que sonha um dia ver seu nome estampado no line-up?

Estou tendo a mesma sensação de ver meu nome no Lolla mas também almejo muito dois festivais: Ultra Music Festival e Tomorrowland.

Você é considerado um garoto prodígio da música eletrônica brasileira, iniciou seu aprendizado de instrumentos aos 13 anos. Como você acha que a sua habilidade multi-instrumentalista contribui na produção das suas músicas eletrônicas?

Eu já tive banda por muito tempo e peguei muita bagagem fora da música eletrônica. Acho que o fato de eu ser músico me ajudou a fazer muita coisa em pouco tempo, afinal produzo tem apenas 3 anos. Quando se é músico, você ouve as músicas já existentes e sabe exatamente como recriar o que você achar mais legal.

O que você consegue enxergar como tendência na EDM para os próximos anos e como isso pode afetar sonoramente na sua produção musical?

A minha visão é que a música eletronica vai ficar cada vez mais parecido com um banda, cada vez mais musical. Eu como músico não tenho dificuldade de adaptação e tenho certeza que vai ser ótimo pra todo mundo. A música eletronica é o futuro!

Tem alguma atração do Lollapalooza que você admira e tentará assistir ao show?

Muse, Nine Inch Nails e Axwell. São os meus preferidos no festival e vou assistir com certeza.

Sente alguma diferença em tocar em um festival de música eletrônica e um festival eclético como o Lollapalooza?

Nenhuma. Enxergo a música como uma coisa universal e acho que cada vez mais deveriam juntar todos os estilos em um lugar só. A música é uma língua própria que fala pra todos.

O que podemos esperar do seu set-list para o Lolla?

Vai ser uma coisa bem exclusiva. Tenho pensado nele todo dia e garanto que ninguém vai ficar parado. Estou muito ansioso e empolgado pra chegar logo o dia.