Começamos ontem o nosso Raio X Lollapalooza 2013, seção nova no FestivaisBR que vai te apresentar em cada post uma seleção de bandas parecidas que se apresentam no festival em março e que você pode não conhecer… ainda. A série de oito posts chega ao seu segundo dia com os irlandeses do Two Door Cinema Club, os americanos do Passion Pit, os australianos do The Temper Trap e os brasileiros do Holger e Wannabe Jalva.

Confira também: Raio X Lollapalooza 2013 com The Killers, Kaiser Chiefs, Franz Ferdinand e Foals.

Two Door Cinema Club

Indie Festivo é como chamam por aí – até perjorativamente – a leva de muitas bandas de rock que investem nas batidas eletrônicas para criar um som pop e animado que surgiram nos últimos anos. Os irlandeses Two Door Cinema Club é provavelmente um dos grupos que puxam a fila do estilo com seu pop afinado e viciante, que no fim te faz querer dançar não importa onde esteja. Vocais suaves e sólidos, guitarras ritmadas e sintetizadores são sua marca registrada. Coloque “What You Know” para tocar e se você não se apaixonar até o fim da canção pode pular esse show.

Para começar a ouvir: Something Good Can Work, I Can Talk e Sun.

Passion Pit

E direto de Cambridge vem o Passion Pit. O som da banda é mais comumente descrito como electropop e nunca falha em entregar um som animado e bastante americano. Uma faceta mais interessante da banda são os significados mais ocultos das canções, que funcionam como uma válvula de escape para a instabilidade mental do vocalista Michael Angelakos. “Mirrord Sea” e “It’s Not My Fault, I’m Happy” são bons exemplos dessa dicotomia entre os intrumental animado e as letras obscuras, que marcam de forma bastante pessoal o distúrbio bipolar e suicida de Angelakos.

Para começar a ouvir: Take a Walk, Sleepyhead e I’ll be Alright.

The Temper Trap

Era 2009 quando os australianos do The Temper Trap se viram sob os holofotes em questão de poucos meses. Com o lançamento da balada “Sweet Disposition” o quarteto relativamente desconhecido ganhou o mundo ao aparecer na trilha sonora de 500 Dias com Ela. O primeiro disco, Conditions, saiu naquele ano. Três anos depois, a direção criativa da banda mudou, o grupo virou um quinteto, mas a determinação continua a mesma. Se comparadas com as bandas já apresentadas aqui hoje, o The Temper Trap tem um approach mais sutil e emocional, propagados pela sinceridade e personalidade na voz Dougy Mandagi.

Para começar a ouvir: Need Your Love, Trembling Hands e Love Lost.

Holger

Os paulistanos do Holger são um daqueles grupos que transitam entre tantos estilos e referência que é difícil de definir. Envolvente, festeiro e tropical o Holger traz uma mitura de sintetizadores e percussão e influências que vão de Flaming Lips a Wilco. Com um disco e um EP na praça, já rodaram o Brasil e chamara a atenção no mega festival South by Southwest nos Estados Unidos.

Para começar a ouvir: Let’em Shine Below, Infinta Tamoios e Ilhabela

Wannabe Jalva

Abrir o show do Pearl Jam e ser elogiado pelo Eddie Vedder já dá dimensão das credenciais do Wannabe Jalva na cena alternativa nacional. Com sua mistura de rock e soul-funk com a música eletrônica, os gaúchos lançaram no ano passado Welcome to Jalva, disco de estreia produzido por eles mesmos e masterizado por Brian Lucey, o responsável por Brothers, do The Black Keys. Pelo Brasil, já se apresentaram ao lado do Two Door Cinema Club, The Rapture, Penguin Prison e Mayer Hawthorne. O disco de estreia está disponível no site oficial da banda para download gratuito.

Para começar a ouvir: Something New, Follow It  e Full of Grace.