10 anos se passaram para que a terceira edição do Rock in Rio acontecesse. O festival que rolou entre 12 e 21 de janeiro de 2001, aproveitou para reutilizar a primeira Cidade do Rock, que passou a ter capacidade de 250 mil pessoas.

Uma das mudanças que aconteceram no espaço foi a criação de quatro tendas, onde cada uma recebia um estilo musical. A Tenda Eletro tinha música eletrônica, a Tenda Brasil, recebia apresentações de artistas brasileiros, a Tenda Raízes, contava com música africana e a Tenda Mundo Melhor, caracterizava o novo slogan “Por um mundo melhor” e tocava músicas internacionais.

Públicou lotou a Cidade do Rock na terceira edição do festival(FOTO: O Globo)

O slogan “Por um mundo melhor” surgiu com a mensagem de que todos juntos poderiam transformar o planeta, realizando projetos sociais que visavam a melhoria da educação dos jovens no Brasil. Hoje ele continua com uma pegada mais socioambiental e possui alguns projetos de sustentabilidade no mundo. Na época do terceiro Rock ‘n Rio, a mobilização foi tão grande que o projeto conseguiu reunir todas as emissoras de rádio e televisão do Brasil para dedicar três minutos de silêncio à conscientização de um mundo melhor.

Ainda mais importante que uma mobilização nacional foi a expectativa pelas apresentações que iriam rolar nesses sete dias de festival. Como sempre, grandes nomes da música internacional e do rock’n roll estavam presentes na line-up, mas pela primeira vez foi reservado um dia para os grupos de Pop, os queridinhos do público adolescente. Batizado de “Noite teen”, o dia 18 de janeiro trouxe nada menos que Aaron Carter, Sandy e Júnior, Five, Britney Spears e ‘N sync.

Sandy & Junior foram as estrelas nacionais da "Noite Teen" (Foto: O Globo)

Quem se destacou no dia foram os novinhos Sandy e Júnior que agitaram a platéia com o show As Quatro Estações. Ele contou com vários efeitos especiais para criar a impressão no público de estarem passando por cada uma das estações do ano.

Outra que chamou atenção foi Britney Spears, principal artista da noite, que vinha pela primeira vez ao Brasil. Ela causou polêmica ao utilizar playback e mostrar a bandeira dos Estados Unidos na apresentação da música “Lucky”, seguindo o cronograma normal da turnê Oops! I did it again World Tour. O público não curtiu muito o patriotismo de Britney e chegou a vaiar a apresentação.

Voltando ao rock’n roll, as atrações que mais marcaram a terceira edição foram o Iron Maiden, Foo Fighters, Silverchair, Guns n’ Roses, R.E.M., Oasis e o Red Hot Chili Peppers, que fechou este terceiro Rock in Rio.

Na época, o Red Hot vinha com a turnê do disco Californication, que conta com os sucessos “Around the World”, “Scar Tissue” e “Otherside”. O show deles foi considerado uma das melhores apresentações, e chegou a marca de 250 mil pessoas presentes, o maior número para o qual eles já se apresentaram.

O Iron Maiden também foi sucesso de público e muito elogiado por sua apresentação. Ele voltou ao festival agora como uma das atrações mais esperadas que tocariam no Dia do Metal e chegou a gravar um CD e um DVD com o show apresentado no Rock in Rio. Veja como foi a apresentação de um dos seus maiores singles “Fear of the Dark”.

Não ficando para trás, as bandas Foo Fighters, Silverchair e Oasis também fizeram ótimas apresentações na edição. Foo Fighters não era, inicialmente, uma das bandas requisitadas para o festival, mas uma enquete feita no site do Rock in Rio mostrou que ele liderava como atração favorita do público, fazendo Medina mudar de idéia. Já Oasis se apresentou para um público que esperava o Guns n’ Roses, e chegou a receber algumas reclamações, mas conseguiu contornar os fãs mais exaltados arrancando um coro da platéia no refrão de “Don’t Look Back in Anger”.

http://www.youtube.com/watch?v=l_dK3sX3zmg

No quesito música brasileira, quem arrasou demonstrando um verdadeiro espírito do rock’n roll foi a cantora Cássia Éller, que chamou atenção do mundo aos mostrar os seios no cover de “Come Together, dos Beatles.

Já o artista baiano Carlinhos Brown sofreu com as vaias e os copos atirados pelos roqueiros. Tocando axé e versões de outras bandas brasileiras ele não conseguiu agradar o público roqueiro. Outro fato que também causou polêmica foi a decisão de seis bandas em boicotar o Rock in Rio quatro meses antes dele acontecer. O boicote foi liderado pelo grupo O Rappa, que teve problemas com a organização por não poder passar som antes da apresentação, e ganhou adesão das bandas Skank, Raimundos, Cidade Negra, Charlie Brown Jr. e Jota Quest. Por causa disso, o cast teve de ser reformulado.

E aí? Foi ao Rock in Rio III ou quer falar sobre o assunto? Não deixe de comentar!

3Leitores comentaram

Entre na discussão
  1. Pingback: Relembre o show do Red Hot Chilli Peppers no Rock in Rio de 2001 - Temporada de Festivais 21 set, 2011

    […] veio ao Brasil, em 2001, com a turnê do aclamado álbum Californication para uma apresentação no terceiro Rock in Rio. Os Chili Peppers seriam os últimos a se apresentarem e certamente o show mais esperado pelo […]

  2. Hi, this is a great post! Thanks..

  3. Pingback: Diário de Bordo: Rock in Rio, dia 1 - Temporada de Festivais 27 set, 2011

    […] do festival começou a ser transmitido. Até a garotinha que tocou o sino por um mundo melhor na edição de 2001 do festival apareceu, dez anos mais velha, para tocar, mesmo que virtualmente, o sino outra vez. O […]

HAVE SOMETHING TO SAY?